O mundo de sutilezas de Kika Levy, no Artsoul Gravuras 2020

27 de November de 2020 • Exposições, Kika Levy

Kika Levy, Paisagens com azul, 2016, Gravura em metal, 40 x 30 cm cada

Apresentamos trabalhos de Kika Levy no Artsoul Gravuras 2020, evento online da plataforma Artsoul, a partir desta sexta (06), até 12/11. A artista apresenta gravuras e monotipias, em uma poética que amalgama acaso, delicadeza e precisão. Acesse: www.artsoul.com.br (vendas na própria plataforma).

Kika Levy, Tempo (Dente de Leão 3), 2016 , Gravura em metal, 30 x 30 cm

 

Sobre o trabalho de Kika Levy, leia texto de Galciani Neves, curadora-chefe do MuBE:

O campo de procedimentos da gravura – grosso modo, produção de uma matriz em pedra, madeira, metal ou em outra superfície que suporte talhos, riscos, corrosões; e a seleção e impressão de uma imagem criada a partir dessas incisões – tornou-se, na trajetória artística de Kika Levy, singularidades práticas e motivações para experimentar e criar processos que se traduzem em expansões da produção gráfica e da função poética da imagem gravada e da própria linguagem. A artista, de certa maneira, abandona a clausura sistematizada que assola e obriga a imagem a ser perfeita e reproduzida com padrão de cor, intensidade e verossimilhança entre os componentes da série. Ela lança a gravura numa sintaxe mais próxima do desenho e, assim, atribui um aspecto de fluxo, de insistência no fazer, de duração alongada de uma convivência exploratória e infindável com a imagem que, por natureza, é mais inquieta, inacabada, sempre disposta a se metamorfosear. […] Para ela, o trabalho se dá no momento em que o pensamento fracassa ou ocorrem brechas para se questionar sobre o próprio fazer, quando justamente surge um aspecto em que se deve persistir ou mais precisamente lhe imprimir uma nova direção. Assim, o que vemos como trabalho, longe de se configurar como algo que atingiu o ponto de perfeição ou que se conecta a uma sensação de contentamento pela “coisa pronta” e dever cumprido, é um feixe de forças e de tempos, em que gestos se aglomeraram e cessaram provisoriamente de atuar, mas ainda se ouvem seus ecos, ferramentas perfurando a linguagem, as linhas, as imagens, os papéis. E nessa perfuração latejante, os pensamentos e percepções que se extraem da linguagem e do material, como coisa sendo vista, atingem muitos contornos, alcançando corpo, olhos, provocando diálogos.

 

Kika Levy, 360, 2019, Gravura em metal, 30 x 80 cm

 

Kika Levy, Tempo, 2016 , Gravura em metal, 30 x 30 cm

ArtSoul Gravuras 2020
www.artsoul.com.br
De 06 a 12/11
Aquisição de obras na própria plataforma


Veja também