newsletter |siga-nos

Preview: Janaina Torres Galeria na SP-Arte/Foto 2018

agosto 4, 2018 | Daniel Jablonski, Exposições, Feco Hamburger, Feiras, Jordi Burch, Kitty Paranaguá, Notícias, Pedro David, Talitha Rossi

Apresentamos com prazer um preview de nossa seleção de artistas e obras para a 12a edição da SP-Arte/Foto 2018, no Shopping JK Iguatemi, em São Paulo, entre 22 (para convidados) e 26 de agosto. Estamos no stand B12. Aproximem-se.

Daniel Jablonski, O Sono Louco – Quem vigia o vigia, 2016, Pigmento sobre papel de algodão, 30 x 43 cm (cada)

Leia mais

Andrey Zignnatto e Pedro David: novas representações

junho 30, 2018 | Andrey Zignnatto, Notícias, Pedro David

A Janaina Torres Galeria anuncia com prazer a representação dos artistas Andrey Zignnatto e Pedro David. Dois nomes relevantes da arte contemporânea brasileira que reforçam a proposta da galeria de trabalhar com artistas que reúnem inquietude e consistência, aliadas à elaboração temática e formal. Andrey Zignnatto deverá expor sua primeira individual na galeria em 2019. Pedro David participa com a série inédita Sobre Experiência ou o que Não Pode Ser Apagado na SP-Arte Foto 2018, de 22 a 26 de agosto, no Shopping JK, em São Paulo.

Andrey Zignnatto

Andrey Zignnatto, Monumentos (2018), parte da exposição Territórios Forjados, galeria IK Projects, Lima – Peru

Andrey Zignnatto nasceu em 1981, em Jundiaí, interior de São Paulo, onde reside. Artista autodidata, trabalha entre São Paulo e Jundiaí. Zignnatto constrói e rearticula elementos do cotidiano em relação aos espaços em que estão inseridos, promovendo discussões profundas sobre o papel do artista, da arte e do espectador na construção e reprodução do sistema de arte e cultura.

Leia mais

A arte como insurreição, por Pedro David

junho 23, 2018 | Entrevista, Pedro David

Pedro David, Sobre Experiência, ou o que Não Pode Ser Apagado, in progress, 40×50 cm

O mineiro Pedro David vive na metade do mundo “que foi eleita para ser fonte de recursos para a outra metade” – e faz disso o elemento central de uma experiência estética marcante entre os artistas de sua geração. Unindo estética e política, David parte do local para atingir questões centrais não apenas da arte, mas do mundo globalizado. Intimidade, entorno, experiência, natureza, deslocamento, precariedade, comunidade, destruição, cicatrizes – é amplo o leque de temas tratados a partir da fotografia, da escultura e, agora, dos bordados sobre papel fotográfico que levam sua arte a novas dimensões. Nesta entrevista, Pedro David nos conta como é estar na periferia de Belo Horizonte e no mundo – e das possibilidades que enxerga na arte de criar uma “rede de subversão”.

Leia mais