newsletter |siga-nos

Pedro Moraleida: cultura e fúria, cor e gesto, técnica e expressão

20 de October de 2017 • Exposições, Notícias, Pedro Moraleida, vídeos

Pedro Moraleida, série Madonnas

O UNIVERSO de Pedro Moraleida (1977-1999) é um continente que começa a ser explorado. Na arte brasileira contemporânea, é única sua mistura de cultura e fúria, cor e gesto, técnica e expressão.

Um dos artistas mais expressivos e contestadores de sua geração, o mineiro Pedro Moraleida (1977-1999) é destaque da mostra “Faça você mesmo sua Capela Sistina”, com curadoria de Augusto Nunes Filho, em cartaz até 19 de novembro no Palácio das Artes, em Belo Horizonte (MG).

Pedro Moraleida, Os Sete Pecados Capitais, obra exposta no Palácio das Artes (BH)

Atacada pela onda reacionária que invade museus e tenta censurar obras de arte em estados como Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e, agora, Minas Gerais, a obra de Moraleida é um libelo pela liberdade do artista frente ao domínio da política, da cultura, do poder econômico e da religião.

Veja reportagem sobre os ataques recebidos pela exposição aqui

Veja reportagem do G1 com as obras da mostra aqui. 

A mostra já foi vista por mais de seis mil pessoas em trinta dias, o que revela a força e a pertinência da obra de Moraleida e a compreensão do grande público pela poética libertária do artista.

Pedro Moraleida: qualidade pictórica e impacto narrativo

“A obra de Pedro Moraleida, além de possuir extraordinária qualidade formal, é um libelo intenso pela liberdade artística e individual, que encontra grande ressonância pelo momento atual do País e do mundo”, diz Janaina Torres, que representa a obra de Moraleida junto à família do artista. “Manifestamos nossos repúdio à censura e a extirpação da liberdade nas produções e manifestações artísticas no país”.

Pedro Moraleida faria 40 anos no dia 10 de agosto e deixou uma obra extensa e de grande impacto estético e narrativo.

Em “Faça você mesmo sua Capela Sistina” são exibidas 131 pinturas, 48 desenhos, 4 esculturas, além de textos e vinhetas musicais de sua autoria.

A Capela Sistina de Pedro Moraleida

Ocupando a Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, do Palácio das Artes, Nunes-Filho se colocou o desafio de montar, pela primeira vez, a capela sistina de Pedro Moraleida (1977- 1999), com a ajuda de Luis Bernardes, pai do artista.

Como declarou ao jornal O Tempo, há, logo na entrada, um esboço do que seria a capela toda. “O que montamos, num formato de cruz, é um décimo ou menos do projeto, mas foi o que ele produziu. São telas, papeis, gesso, radiografia e outros objetos. Fizemos também uma seleção de trabalhos e construímos o entorno da capela como uma retrospectiva”, diz Nunes-Filho, alertando que a obra de Moraleida é para “maiores de 16 anos”.

“Na verdade, essa polêmica é falsa”, argumenta Luiz Bernardes, pai do artista. “Se pegarmos a exposição do Pedro, que já foi mostrada na Europa e em outros países da América do Sul e do norte, isso nunca ocorreu. O que acontece de fato é que, eles apontam uma falsa agressão moral por parte dessa e de outras exposições. Não há estímulo à pedofilia ou coisas do tipo. Esses protestos revelam uma ignorância enorme sobre o que é o papel da arte no conhecimento humano e a importância disso para a sociedade”, afirma Luiz (leia reportagem completa aqui).

Contemporâneo e radical

Nascido em Belo Horizonte, em 1977, Pedro Moraleida estudou Belas Artes na UFMG e antes de morrer, aos 22 anos de idade, já era considerado um dos artistas mais expressivos de sua geração.

Dono de uma obra vigorosa, Moraleida se envolveu com a pintura, com os desenhos, com as palavras e os sons. Sua presença e erudição vagam pelas obras. Contemporâneo e radical, chegou a comer o pescoço de Duchamp em um de seus trabalhos.

Com a mostra, Minas Gerais e o Brasil têm uma amostra da arte desse mineiro gigante, que começa a ser reconhecido na sua real dimensão.

Veja imagens da exposição no vídeo (caseiro) abaixo, de autoria de João Pedro Moraleida, primo do artista.

 

Mais sobre Pedro Moraleida

Site do artista (em flash)

Enciclopédia Itaú Cultural

Página do artista (Janaina Torres Galeria)